Médicos veterinários maranhenses participam de simulação de emergência contra a febre aftosa.

Com o apoio do Fundepec-MA, as médicas veterinárias da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA), Margarida Prazeres e Gláucia Coelho, estão participando de um treinamento no município de Juscimeira, estado do Mato Grosso, que reúne cerca de 200 profissionais do Brasil, Bolívia e Paraguai . O exercício simulado de emergência zoossanitária visa capacitar o sistema de defesa sanitária para detecção precoce e reação imediata no caso de um foco de aftosa.

Iniciado no dia 30 de julho, o treinamento será finalizado nesta sexta-feira, dia 05, e reúne gestores das superintendências federais de defesa agropecuária e médicos veterinários dos 26 estados da federação e do Distrito Federal. Também participam profissionais da Bolívia e do Paraguai.

Participam da capacitação mais de 200 profissionais do Brasil, Bolívia e Paraguai
Foto: Michel Alvim/Secom MT

O treinamento é promovido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e   Instituto de Defesa Agropecuária do Mato Grosso (Indea-MT). A simulação capacita os serviços veterinários para fortalecer a vigilância e apoiar a retirada da vacina contra a febre aftosa, prevista para acontecer até 2026 em todo o país. No Maranhão, o Fundepec-MA, governo do Estado e várias entidades ligadas ao setor agropecuário, estão envidando esforços para antecipar para 2023 a retirada da vacina no estado.

Além da febre aftosa, o treinamento também abordou a influenza aviária e a peste suína clássica ou africana.
Foto: Michel Alvim/Secom MT

Consta na programação-  que é voltada também para evitar a disseminação da influenza aviária e a peste suína clássica ou africana, oficinas de Biossegurança, Vigilância veterinária, Colheita e preparo de amostras, Eliminação de focos, Controle de trânsito, Epidemiologia e Informação/Formulários e Comunicação.

Houve também uma simulação de foco de febre aftosa, onde foram feitas investigações, buscas por animais doentes nas propriedades e montagem de barreiras sanitárias para conter a saída de animais infectados até a completa eliminação do foco e reestabelecimento da condição sanitária.

O presidente do Fundepec-MA, José Ataíde, disse que o apoio aos custos dos médicos veterinários maranhenses para participar da simulação é mais uma ação da parceria que a entidade tem com a Aged-MA. “Ao longo dos últimos doze anos apoiamos as ações de defesa sanitária animal desenvolvidas pelo serviço veterinário oficial do Maranhão. Temos um termo de cooperação técnica e muitas atividades já foram executadas e outras estão em execução, como por exemplo, a manutenção do Sistema de Gestão Agropecuária do Maranhão, o Sigama”, enfatizou José Ataíde.

O presidente da AGED, Cauê Ávila Aragão disse que é muito importante a participação do Maranhão nesse treinamento de simulação de emergência contra febre aftosa, uma vez que o Estado vem cumprindo as metas estabelecidas no Plano Estratégico de Vigilância para Febre Aftosa. “O Maranhão avança para fazer a retirada da vacina e a parceria com o Fundepec-MA é importante nessa construção. Essa capacitação que estamos participando é importante para fortalecer nosso sistema de defesa sanitária para detecção da doença, agilizando com respostas imediatas diante de possível foco de aftosa”, afirmou o presidente.

A médica veterinária Margarida Prazeres, falou da necessidade de atualizar as estratégias de ação. “Todo o sistema de defesa do Brasil, independente do estado, tem que começar a modificar a sua forma de ação não mais para erradicação, mas em cima da detecção precoce e reação imediata”, afirmou Margarida, acrescentando que o objetivo é ter uma equipe nacional formada por veterinários habilitados.

Em abril deste ano o Mapa anunciou que, após a campanha de vacinação, será suspensa a aplicação da vacina contra a febre aftosa no restante do estado do Mato Grosso (5 municípios foram autorizados pela OIE a suspender a vacinação desde o ano passado), Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Tocantins e Distrito Federal.

Atualmente, além dos 5 municípios de Mato Grosso, possuem o status sanitário de Zona Livre de Febre Aftosa sem vacinação os 14 municípios do Amazonas e os estados de Santa Catarina, Acre, Paraná, Rio Grande do Sul e Rondônia.

A presidente do Indea, Emanuele Almeida, falou da importância do treinamento. “Tendo em vista o plano estratégico de Mato Grosso, do qual o Indea faz parte, é de suma importância que as autoridades que estão aqui nos observando presenciem o efetivo trabalho de fortalecimento que vem sendo realizado em todo Estado, nos preparando para alcançar a condição de livre de febre aftosa sem vacinação, para quando formos pleitear a certificação de zona livre de febre aftosa sem vacinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *